Eclesiástico 47

Eclesiástico, Capítulo 47

1.Depois disto (levantou-se Natã, profeta) no tempo de Davi.

2.Assim como a gordura (da vitamina) se separa da carne, assim foi Davi separado do meio dos israelitas.

3.Ele brincou com os leões como se fossem cordeiros, e tratou os ursos como cordeirinhos.

4.Não foi ele quem, em sua mocidade, matou o gigante, e tirou a vergonha do seu povo?

5.Levantando a mão, com uma pedra de sua funda abateu a insolência de Golias,

6.pois ele invocou o Senhor todo-poderoso, o qual deu à sua destra força para derrubar o temível guerreiro, e para levantar o poder do seu povo.

7.Assim, foi ele festejado por causa (da morte) de dez mil homens. Louvaram-no nas bênçãos do Senhor, e ofereceram-lhe uma coroa de glória,

8.porque ele esmagou os inimigos de todos os lados, exterminou u os filisteus, seus adversários, (como se vê) ainda hoje, e abateu o seu poder para sempre.

9.Fez de todas as suas obras uma homenagem ao Santo e ao Altíssimo com palavras de louvor.

10.Louvor ao Senhor com todo o coração. Amou a Deus que o criou, e lhe deu poder contra seus inimigos.

11.Estabeleceu cantores diante do altar, e compôs suaves melodias para os seus cânticos.

12.Deu esplendor às festividades, e brilho aos dias solenes, até o fim da vida, para que fosse louvado o santo nome do Senhor, e fosse glorificada desde o amanhecer a santidade de Deus.

13.O Senhor purificou-o de seus pecados, engrandeceu o seu poder para sempre, e firmou-lhe, por sua aliança, a realeza e um trono de glória em Israel.

14.Depois dele, apareceu seu filho, cheio de sabedoria; por causa dele o Senhor derrubou todo o poder dos inimigos.

15.Salomão reinou em dias de paz. Deus submeteu a ele todos os seus inimigos,

16.a fim de que ele construísse uma casa ao nome do Senhor, e lhe preparasse um santuário eterno. Quão bem foste instruído na tua juventude! Foste cheio de sabedoria como um rio. Tua alma cobriu toda a terra.

17.Encerraste enigmas em sentenças, teu nome foi glorificado até nas ilhas longínquas, e foste amado na tua paz.

18.Por teus cânticos, provérbios, parábolas e interpretações, foste admirado por toda a terra.

19.Em nome do Senhor Deus, que é chamado o Deus de Israel,

20.ajuntaste montes de ouro como se fosse bronze, amontoaste prata como se faz com o chumbo.

21.Entregaste teus flancos às mulheres, saciaste teu corpo,

22.maculaste tua glória, profanaste tua raça, atraindo assim a cólera sobre teus filhos, e o castigo sobre tua loucura,

23.causando com isso um cisma no reino, e fazendo sair de Efraim uma dominação rebelde.

24.Mas Deus não esqueceu a sua misericórdia, não destruiu nem aniquilou as suas obras; não arrancou pela raiz a posteridade de seu eleito, não exterminou a raça daquele que ama o Senhor.

25.Ao contrário, deixou um resto a Jacó, e a Davi um rebento de sua raça.

26.E Salomão teve um fim semelhante ao de seus pais.

27.Deixou depois de si um filho que foi a loucura da nação,

28.um homem desprovido de juízo, chamado Roboão, que transviou o povo por seu conselho.

29.E Jeroboão, filho de Nabat, que fez Israel pecar, e abriu para Efraim o caminho da iniqüidade. Houve entre eles uma profusão de pecados,

30.que os expulsaram para longe de sua terra.

31.Procuraram todos os meios de fazer o mal, até que veio a vingança, que pôs um termo às suas iniqüidades.

Reflexão:

Ao continuar a narrar os feitos dos principais nomes da história do povo judeu, o autor sagrado faz um breve relato de quatro reis: Davi, Salomão, Roboão e Jeroboão.

Relata o grande reinado de Davi e a misericórdia de Deus, que perdoa seus pecados e faz com ele uma aliança na qual a realeza nunca seria lhe tirada.

De Salomão, descreve sua sabedoria e como ele pecou adorando deuses estrangeiros.

Sobre Roboão, fala sobre seu reinado como uma loucura para a nação.

Por fim, fala sobre Jeroboão, que levou o povo a uma profusão de pecados.

Temos neste capítulo quatro modelos a seguir. Escolhamos o modelo do rei Davi, pois a promessa que fez a sua descendência vale também para nós, conforme o versículo 24:

“Mas o Senhor não renunciou à sua misericórdia e não cancelou nenhuma de suas promessas. Não deixou perecer a posteridade do seu eleito, nem destruiu a descendência daquele que o tinha amado. Concedeu um resto a Jacó, e a Davi uma raiz que dele nasceu.”

Deixe uma resposta