Eclesiástico 44

Eclesiástico, Capítulo 44

1.Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem.

2.O Senhor deu-lhes uma glória abundante, desde o princípio do mundo, por um efeito de sua magnificência.

3.Eles foram soberanos em seus estados, foram homens de grande virtude, dotados de prudência. As predições que anunciaram adquiriram-lhes a dignidade de profetas:

4.eles governaram os povos do seu tempo e, com a firmeza de sua sabedoria, deram instruções muito santas ao povo.

5.Com sua habilidade cultivaram a arte das melodias, publicaram os cânticos das escrituras.

6.Homens ricos de virtude, que tinham gosto pela beleza, e viviam em paz em suas casas.

7.Todos eles adquiriram fama junto de seus contemporâneos, e foram a glória de seu tempo.

8.Aqueles que deles nasceram deixaram um nome que publica seus louvores.

9.Outros há, dos quais não se tem lembrança; pereceram como se nunca tivessem existido. Nasceram, eles e seus filhos, como se não tivessem nascido.

10.Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade.

11.Na sua posteridade permanecem os seus bens.

12.Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças.

13.Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim.

14.Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século.

15.Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembléia os seus louvores!

16.Henoc agradou a Deus e foi transportado ao paraíso, para excitar as nações à penitência.

17.Noé foi julgado justo e perfeito, e no tempo da ira tornou-se o elo de reconciliação.

18.Por isso foram deixados alguns na terra, quando veio o dilúvio.

19.Ele foi o depositário das alianças feitas com o mundo, a fim de que ninguém doravante fosse destruído por dilúvio.

20.Abraão é o pai ilustre de uma infinidade de povos. Ninguém lhe foi igual em glória: guardou a lei do Altíssimo, e fez aliança com ele.

21.O Senhor marcou essa aliança em sua carne; na provação, mostrou-se fiel.

22.Por isso jurou Deus que o havia de glorificar na sua raça, e prometeu que ele cresceria como o pó da terra.

23.Prometeu-lhe que exaltaria sua raça como as estrelas, e que seu quinhão de herança se estenderia de um mar a outro: desde o rio até as extremidades da terra.

24.Ele fez o mesmo com Isaac, por causa de seu pai, Abraão.

25.O Senhor deu-lhe a bênção de todas as nações, e confirmou sua aliança sobre a cabeça de Jacó.

26.Distinguiu-o com suas bênçãos, deu-lhe a herança, e repartiu-a entre as doze tribos.

27.Conservou-lhe homens cheios de misericórdia, que encontraram graça aos olhos de toda carne.

Reflexão:

No grande quadro retrospectivo da história nacional, nota-se a satisfação do autor quanto às realizações de seus antepassados, bem como sua atenção particular à história sacerdotal e cultural.

Os grandes homens, enfocados neste capítulo, adquiriram fama em meio ao seu povo e mereceram ser lembrados e exaltados.

Quais são hoje os nomes que podemos exaltar? Quais são os exemplos para serem seguidos pelas gerações futuras? Atualmente alguns homens são reconhecidos e se destacaram no campo das ciências, das letras, das artes, da tecnologia e entre aqueles que promovem a paz. Recebem uma generosa quantia em dinheiro pelos seus feitos, mas poucos são os nomes que não foram rapidamente esquecidos.

Devemos nós também fazer uma reflexão sobre a nossa vida. Se buscarmos o bem da coletividade, e formos reconhecidos pelos nossos bons feitos, quando estes são voltados a ajudar ao próximo, nossos atos serão lembrados, e nosso Deus se alegrará com a nossa generosidade e bondade.

Deixe uma resposta