Cânticos 7

Livro dos Cânticos 7 ou Cantares 7

Quão formosos são os teus pés nos sapatos, ó filha do príncipe! Os contornos de tuas coxas são como jóias, trabalhadas por mãos de artista.
O teu umbigo como uma taça redonda, a que não falta bebida; o teu ventre como montão de trigo, cercado de lírios.
Os teus dois seios como dois filhos gêmeos de gazela.
O teu pescoço como a torre de marfim; os teus olhos como as piscinas de Hesbom, junto à porta de Bate-Rabim; o teu nariz como torre do Líbano, que olha para Damasco.
A tua cabeça sobre ti é como o monte Carmelo, e os cabelos da tua cabeça como a púrpura; o rei está preso nas galerias.
Quão formosa, e quão aprazível és, ó amor em delícias!
A tua estatura é semelhante à palmeira; e os teus seios são semelhantes aos cachos de uvas.
Dizia eu: Subirei à palmeira, pegarei em seus ramos; e então os teus seios serão como os cachos na vide, e o cheiro da tua respiração como o das maçãs.
E a tua boca como o bom vinho para o meu amado, que se bebe suavemente, e faz com que falem os lábios dos que dormem.
Eu sou do meu amado, e ele me tem afeição.
Vem, ó amado meu, saiamos ao campo, passemos as noites nas aldeias.
Levantemo-nos de manhã para ir às vinhas, vejamos se florescem as vides, se já aparecem as tenras uvas, se já brotam as romãzeiras; ali te darei os meus amores.
As mandrágoras exalam o seu perfume, e às nossas portas há todo o gênero de excelentes frutos, novos e velhos; ó amado meu, eu os guardei para ti.
Cânticos 7:1-13

Reflexão

O esposo admira a beleza da esposa em detalhes delicados e a esposa o excita convidando-o a ir ter com ela, a sair ao campo, a passear as noites nas aldeias e a levantarem bem cedinho, de manhã, para irem às vinhas do amor.

Tão belo é o amor e tão lindas as carícias de cada um ao outro procurando o que agrada, o que dá prazer e o que excita de todas as maneiras e de todas as formas. O esposo alimenta os seus olhos famintos com os detalhes sem igual das formas íntimas de sua amada esposa.

Os pés, as coxas, o umbigo, o ventre, os seios, o pescoço, os olhos, o nariz, a cabeça, os cabelos tudo nela o excita e ele vai deslizando aquele olhar como se fosse uma língua a experimentar o sabor de cada curva e de cada detalhe.

Ele a mira de baixo para cima e vai caminhando bem devagarinho aproveitando cada esquina, cada curva, cada enfeite e cada detalhe. Junto com os olhares sedutores e a boca ávida e os lábios em brasa, ele vai se derretendo, esquentando e se envolvendo em seu amor.

Ela também está como em estado catatônico e assim fica enquanto suas mãos passeiam por seu corpo belo. Ele lhe fala aos ouvidos e a elogia como a filha do príncipe e ela lhe excita o convidando a continuar, a prosseguir, a sentir o seu hálito como o de maças aromáticas, as respirações de ambos estão ofegantes e os hormônios à flor da pele.

Como é bom amar e ser amado de verdade e não ser usado pelo outro que não quer compromisso, mas apenas tem interesse na mercadoria. Sim, mercadoria! Pode a mercadoria ofertar prazer e alegria e gozo profundo. Jamais! Se você é objeto e mercadoria para satisfação do outro, você não sabe o que é o amor, antes engana-se profundamente.

Há um dito por ai de que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor, mas eu digo que quem não está no senhor não faz amor, antes apenas sexo ou uma espécie de masturbação mais bem elaborada e somente isso: vazia!

Fonte: http://www.jamaisdesista.com.br/

Belíssima canção católica inspirada na livro bíblico de Cântico dos Cânticos ou Cantares. É um verdadeiro HINO AO AMOR Ágape.

Título Original: “Ma toute Belle” da banda Gen Rosso

Composição: Nino Mancuso

Deixe uma resposta