Cânticos 2

Meditação sobre o Livro dos Cânticos 2 ou Cantares 2

Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales.
Qual o lírio entre os espinhos, tal é meu amor entre as filhas.
Qual a macieira entre as árvores do bosque, tal é o meu amado entre os filhos;desejo muito a sua sombra, e debaixo dela me assento;e o seu fruto é doce ao meu paladar.
Levou-me à casa do banquete, e o seu estandarte sobre mim era o amor.
Sustentai-me com passas, confortai-me com maçãs, porque desfaleço de amor.
A sua mão esquerda esteja debaixo da minha cabeça, e a sua mão direita me abrace.
Conjuro-vos, ó filhas de Jerusalém, pelas gazelas e cervas do campo, que não acordeis nem desperteis o meu amor, até que queira.
Esta é a voz do meu amado; ei-lo aí, que já vem saltando sobre os montes, pulando sobre os outeiros.
O meu amado é semelhante ao gamo, ou ao filho do veado; eis que está detrás da nossa parede, olhando pelas janelas, espreitando pelas grades.
O meu amado fala e me diz: Levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem.
Porque eis que passou o inverno; a chuva cessou, e se foi;
Aparecem as flores na terra, o tempo de cantar chega, e a voz da rola ouve-se em nossa terra.
A figueira já deu os seus figos verdes, e as vides em flor exalam o seu aroma; levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem.
Pomba minha, que andas pelas fendas das penhas, no oculto das ladeiras, mostra-me a tua face, faze-me ouvir a tua voz, porque a tua voz é doce, e a tua face graciosa.
Apanhai-nos as raposas, as raposinhas, que fazem mal às vinhas, porque as nossas vinhas estão em flor.
O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu rebanho entre os lírios.
Até que refresque o dia, e fujam as sombras, volta, amado meu; faze-te semelhante ao gamo ou ao filho dos veados sobre os montes de Beter.
Cânticos 2:1-17

Reflexão

O esposo faz declarações à esposa que faz declarações ao esposo deixando assim fluir o amor em aroma suave e doce ao paladar e aos sentidos. Nada há melhor nesta vida do que curtir, debaixo das bênçãos de Deus, por inteiro, o corpo, alma e espírito de nosso cônjuge.

O sexo é bom, saudável, não aconteceu depois da queda, mas antes da queda. Deus tinha dito e instruído Deus aos homens que se multiplicassem e enchessem a terra e para isso a união entre o homem e a mulher deveria acontecer e, com certeza, acontecia e era somente bênção, prazer e alegria.

Hoje o mundo comemora o dia do orgasmo, mas orgasmo descompromissado e fora da presença de Deus é somente uma sensação forte, de grandes intensidades, mas vazia e oca. O que masturba, buscando a sensação orgasmica é egoísta porque não está havendo compartilhamento, está faltando alguma coisa. O que trai seu cônjuge e sente o orgasmo na presença de outrem, estranho no ninho, também não se locupleta e está sendo egoísta ao usar o corpo estranho para sentir algo. Isso seria como uma masturbação também, mas mais complexa. Não deixa de haver egoísmo e o vazio com agravante de ter cometido algo que Deus reprova veementemente.

Toda forma de sexo fora do casamento é uma busca desenfreada e louca conduzida pelo egoismo extremado que somente traz ao seu autor uma sensação forte, mas reprovada dentro de si mesmo. Já o crente, fiel, abençoado por Deus, sobe às nuvens numa sensação que o completa em tudo e há compartilhamento e prazer genuíno e aprovado por Deus e por nossa consciência.

Quer sentir grande prazer e se alegrar, experimente buscar o auxílio do Espírito Santo que tem preparado seu cônjuge para isso. Fora de Deus não há prazer, mas egoísmo…

Fonte: http://www.jamaisdesista.com.br/

Belíssima canção católica inspirada na livro bíblico de Cântico dos Cânticos ou Cantares. É um verdadeiro HINO AO AMOR Ágape.

Título Original: “Ma toute Belle” da banda Gen Rosso

Composição: Nino Mancuso

Deixe uma resposta