Provérbios 31

Meditação no Livro de Provérbios – Cap. 31

Palavras do rei Lemuel, a profecia que lhe ensinou a sua mãe.
Como, filho meu? e como, filho do meu ventre? e como, filho dos meus votos?
Não dês às mulheres a tua força, nem os teus caminhos ao que destrói os reis.
Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes o desejar bebida forte;
Para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos.
Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito.
Que beba, e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais.
Abre a tua boca a favor do mudo, pela causa de todos que são designados à destruição.
Abre a tua boca; julga retamente; e faze justiça aos pobres e aos necessitados.
Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis.
O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo.
Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida.
Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos.
Como o navio mercante, ela traz de longe o seu pão.
Levanta-se, mesmo à noite, para dar de comer aos da casa, e distribuir a tarefa das servas.
Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos.
Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços.
Vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite.
Estende as suas mãos ao fuso, e suas mãos pegam na roca.
Abre a sua mão ao pobre, e estende as suas mãos ao necessitado.
Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata.
Faz para si cobertas de tapeçaria; seu vestido é de seda e de púrpura.
Seu marido é conhecido nas portas, e assenta-se entre os anciãos da terra.
Faz panos de linho fino e vende-os, e entrega cintos aos mercadores.
A força e a honra são seu vestido, e se alegrará com o dia futuro.
Abre a sua boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua.
Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça.
Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva.
Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!
Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.
Dai-lhe do fruto das suas mãos, e deixe o seu próprio trabalho louvá-la nas portas.
Provérbios 31:1-31

 

“Palavras do rei Lemuel, de Massá, as quais lhe ensinou sua mãe. Que te direi, filho meu? Ó filho do meu ventre? Que te direi, ó filho dos meus votos? Não dês às mulheres a tua força, nem os teus caminhos, às que destroem os reis. Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte. Para que não bebam, e se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos. Dai bebida forte aos que perecem e vinho, aos amargurados de espírito; para que bebam, e se esqueçam de sua pobreza, e de fadigas não se lembrem mais. Abre a boca a favor do mudo, pelo direito de todos os que se acham desamparados. Abre a boca, julga retamente e faze justiça aos pobres e necessitados” (Pv 31; 19)

Veja o cuidado que a mãe do rei Lemuel teve de lhe ensinar sobre o poder que tem uma mulher. Ele aqui, repetiu as palavras do ensino de sua mãe e isso nos mostra que ele realmente deu ouvidos e as guardou. Mais adiante vemos o que ele fala da mulher, sim da mulher virtuosa!
Lemuel aprendeu a não seguir seus desejos, a não dar ouvidos as palavras doces do pecado muitos menos a amar os prazeres dessa vida. Ele entendeu que era separado e que se seguisse o conselho de sua mãe, seria muito abençoado. Sua mãe lhe ensinou que mesmo sendo um rei, ele deveria ser humilde. Lhe ensinou a usar seus lábios para levar vida e não morte, lhe ensinou a andar na justiça e fazer o bem até mesmo aos que lhe eram inferior.
Lemuel foi muito abençoado por isso, pois, o melhor ele encontra nos versículos a seguir:
“Mulher virtuosa, quem achará? O seu valor muito excede o de finas jóias.” (Pv 31;10)
O rei Lemuel sabia a quem procurar, ele não queria encontrar uma mulher comum e sim uma mulher virtuosa. Ele conhecia o seu valor e por isso deu ouvidos a instrução de sua mãe. Ele se desviou de tudo que lhe fosse distrair e amou mais o ensino do que o vinho (prazer).
Assim, podemos trazer para nossa vida o exemplo de Lemuel que talvez até hoje, você nunca tinha ouvido falar. Quando ouvimos o ensino que nos é dado. Quando nos desviamos do pecado. Quando não damos nossa força a ninguém. Quando guardarmos o ensino e desprezamos os prazeres fáceis dessa vida. Quando andamos na justiça. Quando pensamos bem antes de tomar qualquer decisão ou atitude. Quando usamos bem as nossas palavras. Temos a recompensa!

Encontrar a mulher virtuosa é encontrar a felicidade. Ela está acima do que é comum, ela é diferente e faz bem a todos que a rodeiam. Ela é valorizada e por isso o esforço para encontrá-la é ainda maior. Quem não quer se esforçar muito pode se contentar com o comum, mas não reclame dos resultados depois.
A mulher virtuosa está guardada dentro de cada mulher comum. É como um diamante que está na lama. Para ser encontrado é necessário procurá-lo, um trabalho bem árduo. Após encontrá-lo é necessário limpá-lo. A mulher que busca ser virtuosa terá que se limpar de toda “lama” que ofusca o seu valor. Medos, traumas, complexos, bagagens, etc.
Após ser limpo o diamante é lapidado para então revelar o seu valor. A mulher virtuosa terá de buscar a sabedoria e assim se permitir moldar por ela. Terá de abandonar a necedade e evoluir, elevar seu valor para ser rara como uma jóia.

 

Fonte: http://perolascomsabedoria.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta