Provérbios 30

Meditação no Livro de Provérbios – Cap. 30

Palavras de Agur, filho de Jaque, o masaíta, que proferiu este homem a Itiel, a Itiel e a Ucal:
Na verdade eu sou o mais bruto dos homens, nem mesmo tenho o conhecimento de homem.
Nem aprendi a sabedoria, nem tenho o conhecimento do santo.
Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas numa roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome? E qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?
Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele.
Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso.
Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra:
Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume;
Para que, porventura, estando farto não te negue, e venha a dizer: Quem é o Senhor? ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e tome o nome de Deus em vão.
Não acuses o servo diante de seu senhor, para que não te amaldiçoe e tu fiques o culpado.
Há uma geração que amaldiçoa a seu pai, e que não bendiz a sua mãe.
Há uma geração que é pura aos seus próprios olhos, mas que nunca foi lavada da sua imundícia.
Há uma geração cujos olhos são altivos, e as suas pálpebras são sempre levantadas.
Há uma geração cujos dentes são espadas, e cujas queixadas são facas, para consumirem da terra os aflitos, e os necessitados dentre os homens.
A sanguessuga tem duas filhas: Dá e Dá. Estas três coisas nunca se fartam; e com a quarta, nunca dizem: Basta!
A sepultura; a madre estéril; a terra que não se farta de água; e o fogo; nunca dizem: Basta!
Os olhos que zombam do pai, ou desprezam a obediência à mãe, corvos do ribeiro os arrancarão e os filhotes da águia os comerão.
Estas três coisas me maravilham; e quatro há que não conheço:
O caminho da águia no ar; o caminho da cobra na penha; o caminho do navio no meio do mar; e o caminho do homem com uma virgem.
O caminho da mulher adúltera é assim: ela come, depois limpa a sua boca e diz: Não fiz nada de mal!
Por três coisas se alvoroça a terra; e por quatro que não pode suportar:
Pelo servo, quando reina; e pelo tolo, quando vive na fartura;
Pela mulher odiosa, quando é casada; e pela serva, quando fica herdeira da sua senhora.
Estas quatro coisas são das menores da terra, porém bem providas de sabedoria:
As formigas não são um povo forte; todavia no verão preparam a sua comida;
Os coelhos são um povo débil; e contudo, põem a sua casa na rocha;
Os gafanhotos não têm rei; e contudo todos saem, e em bandos se repartem;
A aranha se pendura com as mãos, e está nos palácios dos reis.
Estes três têm um bom andar, e quatro passeiam airosamente;
O leão, o mais forte entre os animais, que não foge de nada;
O galgo; o bode também; e o rei a quem não se pode resistir.
Se procedeste loucamente, exaltando-te, e se planejaste o mal, leva a mão à boca;
Porque o mexer do leite produz manteiga, o espremer do nariz produz sangue; assim o forçar da ira produz contenda.
Provérbios 30:1-33

 

“Toda palavra de Deus é pura; ela é escudo para os que nele confiam.” (Pv 30;5)
A palavra de Deus nos dá a direção certa para a vida. Ela é fonte de sabedoria para quem medita e escudo para os que confiam. Escudo é segurança, proteção, ou seja, os que ouvem a palavra de Deus e confiam nela estão seguros, não temem mais o mal. A palavra de Deus é viva e eficaz para aqueles que a buscam, para aqueles que meditam nela dia e noite e não afastam o seu coração do ensino. Para aqueles que pautam suas vidas nela e creem em suas palavras. São protegidos porque confiam na Palavra de Deus



“Há daqueles que amaldiçoam a seu pai e que não bendizem a sua mãe.” (Pv 30;11)
Esses são os que desprezam a sabedoria e aborrecem o ensino, que não possuem temor e não se desviam do mal. São enganados pela própria sensação de bem estar e o que irão colher será muito amargo. Desprezam o ensino que lhes servem para o próprio bem e amam o que lhes dão prazer – desagradam a Deus profundamente.

“Há daqueles que são puros aos próprios olhos e que jamais foram lavados da sua imundícia.” (Pv 30;12)
É aquela pessoa que condena a todo mundo quando erra, mas não enxerga os próprios erros e falhas. Se considera pura estando imunda. Muitas vezes, se justifica até pelas suas obras como no caso do fariseu e não se dá conta do quão mal está. É aquela pessoa que deixou de olhar para Deus e passou a observar os erros e falhas das pessoas ao seu redor. Condena o seu próximo por orgulho, mas tem lábios mentirosos. Condena o seu próximo por cair em tentação, mas não enxerga que está no fundo do poço. Condena o seu próximo por querer fazer mais, mas não enxerga que está como um sepulcro caiado. Observa tudo ao seu redor, nota quando algo está certo ou errado, porém não consegue ver a situação na qual se encontra.

“Há daqueles — quão altivos são os seus olhos e levantadas as suas pálpebras!” (Pv 30;13)
São orgulhosas, cheias de si que não aceitam o ensino e a repreensão. São arrogantes e não enxergam os próprios erro. Não gostam da humildade e se perdem por não conhecer a sabedoria. Sempre sabem de tudo e todos, estão com olhos bem abertos e com o orgulho a ponto de bala, mas dentro de si estão cegas.

“Há daqueles cujos dentes são espadas, e cujos queixais são facas, para consumirem na terra os aflitos e os necessitados entre os homens.” (Pv 30;14)
Pessoas que não medem palavras, falam o que tiver que falar, falam a primeira coisa que pensaram e nem se importam com o que suas palavras pode causar na vida da outra pessoa. Ferem como uma espada e cortam como uma faca violenta que traz a morte.

Aqui temos um resumo básico das principais coisas que aprendemos em Provérbios.
– A palavra de Deus é a nossa direção na busca pela Sabedoria.
– Os que não ouvem o ensino e desprezam os que tentam lhe ensinar, estão perdidos em sua sensação de bem estar.
– Os que se consideram justos aos próprios olhos enganando-se em sua própria sabedoria é quase impossível que reconheçam seu mau estado.
– Os que são orgulhosos se limitam em sua própria sabedoria, se tornam ignorantes, tolos e néscios e tropeçam em seu próprio orgulho por não terem a humildade de aprender além do que seu orgulho lhes deixam.
– Toda palavra tem poder e os que usam sua boca para ferir outras pessoas, mostram sua fraqueza e é capaz de levar muitos para o inferno pelo simples fato de não pensar antes de falar.

Foram ensinamentos valiosíssimos e que com certeza fará total diferença em nossa vida, porém há o último capítulo para fecharmos essas meditações com chave de ouro, aguardo você para concluirmos nossas meditações!

 

Fonte: http://perolascomsabedoria.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta