Provérbios 25

Meditação no Livro de Provérbios – Cap. 25

Também estes são provérbios de Salomão, os quais transcreveram os homens de Ezequias, rei de Judá.
A glória de Deus está nas coisas encobertas; mas a honra dos reis, está em descobri-las.
Os céus, pela altura, e a terra, pela profundidade, assim o coração dos reis é insondável.
Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor;
Tira o ímpio da presença do rei, e o seu trono se firmará na justiça.
Não te glories na presença do rei, nem te ponhas no lugar dos grandes;
Porque melhor é que te digam: Sobe aqui; do que seres humilhado diante do príncipe que os teus olhos já viram.
Não te precipites em litigar, para que depois, ao fim, fiques sem ação, quando teu próximo te puser em apuros.
Pleiteia a tua causa com o teu próximo, e não reveles o segredo a outrem,
Para que não te desonre o que o ouvir, e a tua infâmia não se aparte de ti.
Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.
Como pendentes de ouro e gargantilhas de ouro fino, assim é o sábio repreensor para o ouvido atento.
Como o frio da neve no tempo da sega, assim é o mensageiro fiel para com os que o enviam; porque refresca a alma dos seus senhores.
Como nuvens e ventos que não trazem chuva, assim é o homem que se gaba falsamente de dádivas.
Pela longanimidade se persuade o príncipe, e a língua branda amolece até os ossos.
Achaste mel? come só o que te basta; para que porventura não te fartes dele, e o venhas a vomitar.
Não ponhas muito os pés na casa do teu próximo; para que se não enfade de ti, e passe a te odiar.
Martelo, espada e flecha aguda é o homem que profere falso testemunho contra o seu próximo.
Como dente quebrado, e pé desconjuntado, é a confiança no desleal, no tempo da angústia.
O que canta canções para o coração aflito é como aquele que despe a roupa num dia de frio, ou como o vinagre sobre salitre.
Se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe pão para comer; e se tiver sede, dá-lhe água para beber;
Porque assim lhe amontoarás brasas sobre a cabeça; e o Senhor to retribuirá.
O vento norte afugenta a chuva, e a face irada, a língua fingida.
Melhor é morar só num canto de telhado do que com a mulher briguenta numa casa ampla.
Como água fresca para a alma cansada, tais são as boas novas vindas da terra distante.
Como fonte turvada, e manancial poluído, assim é o justo que cede diante do ímpio.
Comer mel demais não é bom; assim, a busca da própria glória não é glória.
Como a cidade derrubada, sem muro, assim é o homem que não pode conter o seu espírito.
Provérbios 25:1-28

 

“Não te glories na presença do rei, nem te ponhas no meio dos grandes; porque melhor é que te digam: Sobe para aqui!, do que seres humilhado diante do príncipe.” (Pv 25;7)
Esse é um fato que acontece no nosso meio. Há aquelas pessoas que, quando estão perto de uma autoridade na igreja ou até mesmo no trabalho começam a se gloriar, a se exaltarem e tentam passar uma imagem de que são mais capacitadas do que todos os outros ao redor. Tudo o que fazem é para chamar a atenção dessas pessoas e para que essas, venham o gloriar também.

Quão tolas são! Preferem agradar aos homens que nada tem para lhes retribuir, do que serem agradáveis a Deus fazendo tudo para a Sua Glória. Por isso, são conhecidas pelo que fazem e não pelo que são. Todos sabem que se precisarem de algo, de pronto elas farão, porém, quando se trata de encontrar uma pessoa de Deus para lhe designar uma tarefa espiritual, bem, ela já tem tantas outras tarefas que é melhor dar essa aquela outra pessoa ali…
A pessoa que é sábia, é humilde e por isso não se gaba de suas qualidades. Os seus frutos mostram! Não precisa convencer com palavras, suas atitudes falam por si. Ela não precisa se gloriar para está perto das autoridades de Deus, ela é chamada!
Talvez, você até dá um jeitinho de falar o que sabe porque pensa que ninguém nunca conta com você. Mas seja sábia, cuide de sua vida com Deus e se coloque a disposição d’Ele. Quando a Obra d’Ele precisar de algo, Ele irá usar quem tiver que usar para te escolher e então será honrada.

“Como cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não tem domínio próprio.” (Pv 25;28)
O que é ter domínio próprio? É ter equilíbrio! Uma cidade que foi derribada e que não tem muros, é uma cidade arruinada e sem limites. A pessoa que não tem domínio próprio é arruinado dentro de si, vive por impulsos e sentimentos. Não consegue se controlar e não tem equilíbrio em sua vida. Tudo o que faz ou é 8 ou é 80, nunca é na medida certa.
Se Deus é equilíbrio, logo, uma pessoa sem domínio próprio não condiz com a Sua natureza divina. Quem é de Deus tem domínio próprio. Domínio sobre as suas vontades, sobre o seu eu, sobre sua vida. Não vive pelo que sente, vive pela fé e por isso, está sempre protegido.

 

Fonte: http://perolascomsabedoria.blogspot.com.br/

Deixe uma resposta