Salmo 148

Louvor universal a Deus, o SENHOR

Louvai ao SENHOR. Louvai ao SENHOR desde os céus, louvai-o nas alturas.
Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos.
Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes.
Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus.
Louvem o nome do Senhor, pois mandou, e logo foram criados.
E os confirmou eternamente para sempre, e lhes deu um decreto que não ultrapassarão.
Louvai ao Senhor desde a terra: vós, baleias, e todos os abismos;
Fogo e saraiva, neve e vapores, e vento tempestuoso que executa a sua palavra;
Montes e todos os outeiros, árvores frutíferas e todos os cedros;
As feras e todos os gados, répteis e aves voadoras;
Reis da terra e todos os povos, príncipes e todos os juízes da terra;
Moços e moças, velhos e crianças.
Louvem o nome do Senhor, pois só o seu nome é exaltado; a sua glória está sobre a terra e o céu.
Ele também exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos, dos filhos de Israel, um povo que lhe é chegado. Louvai ao Senhor.
Salmos 148:1-14

 

148.1-14 a sua glória está acima da terra e do céu. Este salmo é uma sinfonia cósmica, que nos encoraja a sempre louvar ao Senhor. A totalidade da criação, toda ordem de seres, habitantes das esferas celestiais, constelações, galáxias e toda forma de energia e matéria, os aglomerados espaciais em toda expansão do universo, são convocados para a grande sinfonia de celebração da glória divina. Das profundas correntes submarinas há vida cantando ao Senhor. Do infinito espaço vibram as cordas que sustentam o canto da criação. Humanos de todas as idades, culturas, épocas, raças, tribos, línguas e nações são chamados e incluídos neste espetáculo de pura beleza. É a apoteose dos tempos e dos seres numa liturgia magnificente e em alegre comunhão. A totalidade da criação redimida celebra o Senhor. Inaugura-se a Nova Eternidade. O cenário destes versos lembra a visão do louvor universal em Apocalipse. Veja Ap 4, notas, e também os quadros “Para começar a louvar” (Sl 9), e “Descanso fundamental” (Sl 92).
148.7-10 Louve o SENHOR, tudo o que existe na terra. Louvar é expressar o que eu sinto por Deus, de várias formas. O encanto com as maravilhas de tudo o que existe na natureza eleva nossos sentimentos, desejosos de nos sintonizar com a perfeição fantástica do Universo criado por Deus. A falta desse reconhecimento favorece a poluição e a destruição de tanta beleza, como vemos ao nosso redor. Ao perdermos esse encantamento, ao não reconhecermos a maravilha da criação de Deus, estamos nos lançando a todos num vazio enorme, que logo abre caminho para egos e ídolos de várias formas e para a ganância desenfreada.
148.14 a quem ele tanto ama. O fato de sermos muito amados por Deus é o que nos inclui nessa sinfonia cósmica, e que possibilita nosso louvor de coração.

Deixe uma resposta