Salmo 140

Oração pedindo a proteção de Deus
Salmo de Davi. Ao regente do coro.

Livra-me, ó SENHOR, do homem mau; guarda-me do homem violento,
Que pensa o mal no coração; continuamente se ajuntam para a guerra.
Aguçaram as línguas como a serpente; o veneno das víboras está debaixo dos seus lábios. (Selá.)
Guarda-me, ó Senhor, das mãos do ímpio; guarda-me do homem violento; os quais se propuseram transtornar os meus passos.
Os soberbos armaram-me laços e cordas; estenderam a rede ao lado do caminho; armaram-me laços corrediços. (Selá.)
Eu disse ao Senhor: Tu és o meu Deus; ouve a voz das minhas súplicas, ó Senhor.
Ó Deus o Senhor, fortaleza da minha salvação, tu cobriste a minha cabeça no dia da batalha.
Não concedas, ó Senhor, ao ímpio os seus desejos; não promovas o seu mau propósito, para que não se exalte. (Selá.)
Quanto à cabeça dos que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios.
Caiam sobre eles brasas vivas; sejam lançados no fogo, em covas profundas, para que se não tornem a levantar.
Não terá firmeza na terra o homem de má língua; o mal perseguirá o homem violento até que seja desterrado.
Sei que o Senhor sustentará a causa do oprimido, e o direito do necessitado.
Assim os justos louvarão o teu nome; os retos habitarão na tua presença.
Salmos 140:1-13

140.1-5 Livra-me dos homens violentos. Em muitos casos o cristão pode livrar-se de um inimigo de uma forma construtiva, isto é, devolvendo o mal com o bem (1Ts 5.15; Rm 12.21). Cristãos notáveis como o Dr. Martin Luther King advertem que uma das piores coisas que pode nos suceder ao nos depararmos com a maldade e a violência é nos deixarmos contaminar por esses males e nos tornarmos semelhantes àqueles que nos maltratam e perseguem. Assim, nossa oração para que Deus nos livre do poder dos maus e violentos pode incluir, além do pedido de proteção física, a súplica para que ele nos dê força e sabedoria para nos manter firmes no bom caminho de Cristo, e nos ajude a superar o ódio e a busca de vingança. Veja também Sl 139.19, nota, e o quadro “Orações vingativas” (Sl 94).
140.6-8 Tu és o meu Deus. A mais importante defesa contra a violência é a companhia e proteção de Deus. Aqui Davi reafirma sua opção de fé: ele expressa que crê em Deus e portanto aceita que Deus — e não ele próprio — seja o Senhor supremo. Também quando se prepara e participa de batalhas, ele sabe que é de Deus que virá o livramento (v. 7); mesmo sofrendo deslealdade e injustiça, Davi tem um Deus para quem levar suas queixas e pedidos.
140.9-11 Que caiam brasas em cima deles! Na presença de Deus não existem sentimentos proibidos — podemos ser totalmente autênticos e expressar o que nos vai no coração, mesmo que não seja bonito. Esse “pôr para fora” é o primeiro passo para confiarmos em Deus e não buscarmos “fazer justiça” com as próprias mãos. Veja também o quadro “Orações vingativas” (Sl 94).
140.12-13 tu defendes… a causa dos necessitados. Os que estão debaixo de opressão — mulheres exploradas sexualmente, crianças intimidadas por violência, homens forçados a trabalhar sob armas e ameaças, pobres explorados pelos poderosos — têm em Deus um aliado valioso; seguindo a esse Deus terão um futuro tranquilo na sua presença.

Deixe uma resposta