Nossa Senhora da Luz.

Estimulando a fé na Europa, acudindo cativos na África ou pacificando índios ferozes na América, a invocação de Nossa Senhora da Luz é rica tanto em graças quanto em história.

Postado à entrada do grandioso Templo de Jerusalém, o velho Simeão aguardou durante toda a sua vida o momento no qual poderia ver com seus próprios olhos o Messias tão esperado. Sua fé por fim foi premiada, e no feliz dia em que pôde ter em seus braços o Divino Menino Jesus, voltou a face aos céus e proclamou agradecido: “Os meus olhos viram a vossa salvação (…) luz para iluminar as nações, e para a glória de vosso povo Israel” (Lc 2, 30-32).

O venerável ancião falava com toda a propriedade. O Messias possuía em Si essa sobrenatural e magnífica Luz cujos raios haveriam de penetrar os confins de toda a terra, conquistando as nações, expulsando os demônios, e por fim abrindo aos homens as portas dos Céus.

E que se poderia dizer da Mulher escolhida por Deus para trazer ao mundo tal Luz? Séculos antes, Ela havia sido
anunciada pelo grande profeta Isaías: “Eis que uma Virgem conceberá e dará à luz um filho, que se chamará Emanuel, cujo significado é: Deus conosco” (Is 7,14; Mt 4,16).

Sendo a portadora desta Luz de valor infinito, com muita razão os homens, nos séculos vindouros, A venerariam sob a bela invocação de Nossa Senhora da Luz. E foi sobretudo no Portugal do século XV que essa devoção floresceu e dali se difundiu para além-mar.

A protetora de um pobre cativo:

Pedro Martins, simples agricultor da pequena vila portuguesa de Carnide, levava uma existência tranqüila com sua esposa. Mas eram turbulentos os tempos em que viviam. As crônicas não relatam exatamente como, mas ele teve o infortúnio de cair prisioneiro dos mouros da África.
Do ambiente de afeto de sua família, caiu na desgraçada condição de escravo, sujeito a um regime sem compaixão de trabalhos pesados, sob clima atroz e, sobretudo, privado por completo do conforto da religião cristã. Passavam-se os anos, e nenhuma esperança humana restava ao infeliz cativo. Vendo-se de tal modo desamparado pelos homens, Pedro Martins se voltou então, com mais intensidade do que nunca, para Deus.
A sua liberdade só seria restituída mediante o pagamento de um resgate. Ninguém se interesso em pagar seu resgate. Ficou abandonado na prisão sofrendo todo tipo de humilhação e crueldade.
Numa noite, isolado em sua cela, resolveu rezar com mais fervor e fé. Após horas de oração, vencido pelo sono, adormeceu. Então apareceu-lhe em sonho uma Senhora cheia de luz, a qual lhe prometeu voltar mais vezes para consolá-lo e, após sua última visita, fazê-lo voltar para Carnide. Acrescentou que, lá chegando, ele deveria procurar algo que pertencia a Ela e fora escondido perto de uma fonte. Deu lhe também a incumbência de ali edificar uma capela, cuja localização exata Ela lhe indicaria por meio de uma luz.

Trinta noites consecutivas passou ele consolado pela própria Mãe de Deus! As dores sofridas durante o dia se desvaneciam pela luz e a suavidade das horas passadas aos pés de Maria. No entanto, ele continuava cativo. Ao despertar da trigésima noite, oh surpresa! De modo milagroso e inesperado, estava ele de volta em sua boa aldeia. Tomado de emoção, encontrouse com os seus entes amados, os quais muito se admiravam por vê-lo salvo.
Nossa Senhora lhe aparece em sonho, auroleada de extraordinária luz e as palavras que lhe dirigiu podem ser resumidas assim.

“Filho, consola-te. Eu te livrarei do cativeiro. E quando estiveres livre, ainda que sejas pobre, não deixaras de fazer o que agora lhe digo: – Irás a Carnide no termo de Lisboa e fazer-me-ás sobre a fonte do Machado uma ermida que terá a inscrição de: Santa Maria da Luz. Neste lugar meu nome ha de ser glorificado, honrado e aumentado com muitas maravilhas e milagres que nele serão feitos por minha intercessão à muitas pessoas devotas. Quando chegares a Carnide, acharas a minha luz e claridade os sinais que teus naturais vêem sobre a Fonte do Machado. Aí acharas uma bela imagem e nela mostrarei quem sou.”

Mas ele não se esqueceu do pedido da Virgem, e logo se pôs a procurar aquilo que, segundo a indicação d’Ela, tinha sido escondido “perto de uma fonte”. Na verdade, num local chamado Fonte do Machado, há tempos uma luz misteriosa andava aparecendo, e de toda parte vinha gente curiosa para ver tal fenômeno. Decidiu então Pedro ir à noite, acompanhado de um primo, para ali fazer a busca. Realmente, ao chegar à fonte avistaram uma luz a se mover diante deles.
Seguiram-na até um matagal, e ela parou sobre umas pedras. Eles não pensaram duas vezes. Retiraram as pedras e com encanto se depararam com uma lindíssima imagem de Nossa Senhora. A notícia dessa milagrosa descoberta correu por todo o país, e naquele mesmo ano – 1463 – deu-se início à construção de uma capela, conforme
conserva-se no Museu Paranaense fora ordenado pela Santíssima Virgem. Anos mais tarde, ela seria substituída por uma magnífica igreja.

Uma devoção floresce pelo mundo:

Atravessando os mares, a devoção a Nossa Senhora da Luz estendeu-se pelo mundo inteiro, frutificando em graças prodigiosas, de modo especial nos lugares colonizados pelos portugueses. São muitos os milagres a Ela atribuídos, e não seria demasiado aqui citar mais um.
Por volta de 1650, existia num povoado de colonos do sul do Brasil uma capela dedicada à Senhora da Luz, localizada perto de um rio chamado Atuba. Seus habitantes andavam muito perplexos, pois todas as manhãs a imagem da Virgem aparecia com a face voltada para uma região de muitos pinheiros – curytiba, em idioma tupi – onde viviam os ferozes índios tingui. Resolveram então desbravar aquela área, e para lá se dirigiram, dispostos a enfrentar um eventual ataque dos indígenas.
Ao aproximarem- se, qual não foi sua surpresa quando Tindiquera, o cacique da tribo, adiantou-se sorrindo e os acolheu calorosamente. Era, sem dúvida, uma milagrosa ação pacificadora da Virgem. Tornando-se amigo dos colonos, o chefe índio não só lhes cedeu o terreno que pretendiam, mas indicoulhes o melhor lugar, fincando sua lança no solo; os colonos ali a deixaram, em sinal de respeito e amizade. Ao chegar a primavera, a lança do amistoso cacique floriu. Não eram necessários mais sinais. Ali mesmo, sob o amparo da protetora imagem, fundaram uma nova vila cujo nome, como era comum nessa época, mesclava palavras portuguesas e indígenas: Nossa Senhora da Luz dos Pinhais de Curytiba.
Nesse mesmo local ergue-se hoje uma imponente catedral neo-gótica, testemunho da ação ao mesmo tempo pacificadora e luminosa da Mãe de Deus.

A admirável invocação de Nossa Senhora da Luz é um contínuo convite a todos nós para cada vez mais amarmos e seguirmos o seu Divino Filho, o qual de Si mesmo afirmou: “Eu sou a luz do mundo; aquele que Me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8, 12).

Fonte: Murilo Zampieri – Arautos do Evangelho.

Mensagem de Nossa Senhora da Luz:

O véu do tempo

Queridas crianças,

Dirijo o meu amor para você e dou a minha bênção a todos vocês. No meio da escuridão que agora cobre a terra, levante o seu coração na certeza de que você é um filho de Deus e destinado a andar só na luz.
Durante a temporada santa da Quaresma, peço que você remova a amargura e a inveja de seu coração, de modo que não seja levado em ódio, que é a escuridão de uma alma. Se você estiver carregando um ressentimento contra alguém, peço que você libere o sentimento de amor para que você possa aprender o perdão e a compaixão.
Quando os encargos da vida tornarem-se demasiado pesados para que possa suportar, levá-os ao pé da cruz, onde irá ser renovado. Jesus é a água da vida e Nele você vai encontrar a cura que precisa. Essa água viva é a fonte da vida eterna e está presente na Eucaristia, ao pé da cruz, e em todos os lugares santos e sagrados estabelecidos na Terra.
Nesta área, todos os lugares de minhas aparições de Nossa Senhora da Luz é dado a você como uma fonte da água viva onde se pode encontrar esperança e graças ao toque de cura de Deus. Abençoarei os que se dirigem para esses lugares de boa fé e os cobrirei com meu manto de proteção.
Esses dias na terra são um tempo de trevas que se fala nas Sagradas Escrituras. Muitos não percebem, entretanto, que a marcação do tempo de Deus é muito diferente da marcação do tempo do homem. Na eternidade não há tempo como você sabe, mas você virá a entender essas coisas, quando Deus levantar o véu espiritual. Este véu espiritual também pode ser referido como “o véu do tempo”, pois essa é a sua composição.
Meu coração chora por tantas almas perdidas na escuridão, mas também se alegra ao ver podem ser salvos e trazidos à luz. É através de suas orações e esforços que a minha luz está chegando em cada canto do seu mundo e tocando em muitas almas. Continuem a rezar, queridos filhos, pois, mesmo que você não possa ver os resultados da sua oração, eu posso.
Agradeço a todos pela vossa resposta ao meu convite e por me ajudar a cumprir minha missão na Terra. Eu não poderia fazê-lo sem você e o uso de suas muitas mãos.Eu amo todos e cada um de vocês e eu te abraçao no meu coração.
Eu sou Nossa Senhora da Luz e sua Mãe.

Mensagem de Nossa Senhora da Luz em 28 de fevereiro de 1995 para a vidente Batavia, em Ohio,EUA

nossa senhora da luz2

Oração à Nossa Senhora da Luz:

Ó Senhora da Luz, Dona de todos as Graças,
Cobre-nos com o Teu manto resplandecente,
Pois Vós sois a Luz que nos Guia pelas trevas,
E pela Vossa imensa misericórdia nos dás,
Força e alento para seguir o nosso rumo,
Que nos leva até vós, Ò Cheia de Graça.
Nossa Senhora, Pelo Espirito Santo iluminada,
Mãe de Nosso Senhor, Nossa fonte de Luz,
Vois sois s nossa força e o nosso caminho,
E nos protegeis pôr entre montanhas e vales,
Pêlos desertos e ilhas, no sofrimento e tortura,
Nas perseguições que sofremos.
Ó Nossa Senhora da Luz, Nossa Mãe,
Cobre-nos com a Tua interminável Glória,
E continua a iluminar o nosso caminho,
Com a Vossa interminável e Divina Luz,
Que outra coisa não queremos ver,
Senão as maravilhas da Vossa Presença.
Ó Nossa Senhora da Luz, Mãe de Deus,
Ajuda-nos com a Tua bondade infinita,
A enfrentar todos os perigos e tentações,
Para que com a Vossa preciosa ajuda,
Sigamos nosso caminho com a Vossa Luz,
E longe da escuridão das Trevas.
Amém.

Oração à Nossa Senhora da Luz:

Ó minha Mãe, Medianeira de todas as graças, na vossa luz veremos a Luz. Ó Mãe, antes ficar cego do que deixar de ver vossa luz, porque vê-la é viver. Na claridade dessa luz, veremos todas as luzes e sem a claridade dessa luz, nenhuma luz é luz.

Eu não vou mais me preocupar com nada, a não ser o ter diante de mim essa luz. Nunca mais me esquecerei de que, em determinado momento, esta luz brilhou diante de meus olhos, e só vou sossegar no dia em que Nossa Senhora me dê a graça de que esta luz brilhe em todo o mundo.

Eu não considerarei vida os momentos em que ela não brilhar, e eu, da vida, não quererei ter mais nada do que a mente banhada por essa luz.

Ó luz, que me visitasses e me abriste uma perspectiva das coisas diante da qual tudo é nada, porque só isso vale!

Ó vós, graça! Eu vos seguirei custe o que custar: pelos vales, pelos montes, pelas ilhas, pelos desertos, pelas torturas, pelos abandonos, pelos olvidos, pelas perseguições, pelas tentações, pelos infortúnios, pela alegrias, pelas glórias; eu vos seguirei de tal maneira que mesmo no fastígio da glória não me incomodarei com a glória, porque só me incomodarei convosco. Eu Vos vi e até o Céu não quererei outra coisa, porque uma vez eu Vos vi!

Oração à Nossa Senhora da Luz:

Nossa Senhora da Luz, obedecendo à Lei Mosaica, levastes ao templo, vosso Divino Filho, A Luz do Mundo. Sede brilhante farol que, através das brumas e tempestades da vida, nos guie incólumes ao porto seguro do céu. Somos vossos filhos, guiai-nos! Dai-nos espírito de obediência filial a Deus ! Preservai-nos da impureza! Concedei-nos a Luz da Fé e inflamai nosso coração com o fogo divino, para sempre amarmos a Jesus e torná-lo amado por todos.
Amém

Deixe uma resposta