A mulher virtuosa

Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la?
Superior ao valor das pérolas é o seu valor.
Confia nela o coração do seu marido,
e jamais lhe faltará coisa alguma.
Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal,
em todos os dias de sua vida.
Ela procura lã e vinho e trabalha com a mão alegre.
Semelhante ao navio do mercador,
manda vir seus víveres de longe.
Levanta-se ainda de noite,
distribui a comida à sua casa
e a tarefa às suas servas.
Ela encontra uma terra, adquire-a.
Planta uma vinha com o ganho de suas mãos.
Cinge os rins de fortaleza, revigora seus braços.
Alegra-se com o seu lucro,
sua lâmpada não se apaga durante a noite.
Põe a mão na roça, seus dedos manejam o fuso.
Estende os braços ao infeliz
e abre a mão ao indigente.
Ela não teme a neve em sua casa,
porque toda sua família tem vestes duplas.
Faz para si cobertas,
suas vestes são de linho fino e de púrpura.
Seu marido é considerado nas portas da cidade,
quando se senta com os anciãos da terra.
Tece o linho e o vende, fornece cintos ao mercador.
Fortaleza e graça lhe servem de ornamentos,
ri-se do dia do amanhã.
Abre a boca com sabedoria,
amáveis instruções surgem de sua língua.
Vigia o andamento de sua casa
e não come o pão da ociosidade.
Seus filhos se levantam para proclamá-la bem-aventurada
e seu marido para elogiá-la.
“Muitas mulheres demonstram vigor,
mas tu excedes a todas”.
A graça é falaz e a beleza é vã,
a mulher inteligente é a que se deve louvar.
Dai-lhe o fruto de suas mãos
e que suas obras a louvem nas portas da cidade.

(Provérbios 31, 10-31)

Deixe uma resposta