A cigarra e a formiga

A cigarra vivia uma vida tranqüila,
a cantarolar seus dias de sossego
enqüanto a formiga passava o dia todo
a trabalhar e armazenar alimentos
para a sua subsistência quando o inverno chegasse.
A cigarra não se conformava com todo
aquele trabalho árduo e cansativo da formiga,
e sempre ficava insistindo para que esta
abandonasse um pouco aquela rotina de trabalho
e viesse a cantar com ela e curtir
aqueles dias tão ensolarados e bonitos de verão.
Mesmo com tanta insistência,
a formiga continuava firme no seu propósito
de preparar-se para o inverno que não tardava chegar.
Os dias iam se passando, a cigarra cantando
e a formiga trabalhando…
E o inverno não tardou e chegou impiedosamente.
Enqüanto a formiga abrigada em sua morada
preparada com tanto afinco, sentia-se protegida
e alimentada devido ao seu grande esforço e precaução;
a cigarra sofria com todo aquele frio impiedoso,
com uma tremenda fome já que alimento algum
conseguia encontrar no meio daquela neve tão densa.
Dias se passaram,
e a formiga vendo a cigarra adoentando-se,
fica com pena e resolve trazê-la até o seu abrigo,
lá dentro procura aquecê-la e alimentá-la…
Assim após tenebrosos e longos dias de inverno,
brilha no ar, linda e radiante, a primavera;
e graças a bondade da formiga, a cigarra sobrevive,
e trazendo dentro de si uma grande gratidão
pelo ato de caridade da formiga e tendo aprendido a lição,
toma o propósito de que deve sim curtir a vida,
mas nunca esquecendo-se de suas obrigações e necessidades,
preparando-se sempre para as adversidades
que o futuro possa reservar…

 

Deixe uma resposta